Início / CATEGORIAS de NOTÍCIAS / Novo relatório mostra que embalagens de gigantes do fast food têm produto cancerígeno

Novo relatório mostra que embalagens de gigantes do fast food têm produto cancerígeno

Empresas garantem que possuem planos para eliminar esses elementos tóxicos de suas embalagens

por Soraia Alves

Um estudo realizado em parceria pelos grupos de defesa do meio ambiente Ecology Center, The Mind The Store Campaign e Toxic-Free Future, apontou a presença de um produto tóxico e cancerígeno em embalagens de gigantes do fast food como McDonald’s e Burger King, além de redes de restaurantes como Sweetgreen e Cava.

O relatório envolveu o teste de 38 amostras de embalagens de alimentos em seis cadeias de PFAS, compostos amplamente utilizados em produtos domésticos e industriais. Os resultados apontam que quase metade das amostras deram positivas quanto aos níveis de flúor que indicavam que a embalagem continha PFAS.

Recentes estudos ligam os PFAS a danos na saúde como câncer, danos ao fígado, doenças da tireoide e problemas de desenvolvimento. A maioria das pessoas é exposta ao PFAS consumindo alimentos ou bebidas contaminados.

O estudo aponta que as embalagens de batata frita do Burger King, McDonald’s e Wendy’s continham PFAS. Os recipientes de papelão Big Mac também, assim como as embalagens do Whopper, além de todas as tigelas das redes Cava, Freshii e Sweetgreen.

A presença desses elementos tóxicos em embalagens de fast food já foi apontada anteriormente. Em 2017, um estudo publicado pela revista científica Environmental Science & Technology Letters também mostrou que produtos químicos usados na fabricação das embalagens ficam armazenados nas mesmas, e podem causar doenças como diabetes e câncer.

À CNN, as redes Cava, Sweetgreen e Freshii disseram que possuem planos para eliminar o PFAS das embalagens de alimentos nos próximos meses. Em comunicado enviado ao Business Insider, o Burger King diz que pretende estender sua “política de ingredientes seguros para incluir a remoção num curto prazo dos PFAS recentemente identificados”. Já o McDonald’s disse que também está tomando medidas para garantir “a segurança e o bem-estar de seus clientes”.

A Arcos Dorados, responsável pela operação dos restaurantes McDonald’s na América Latina e Caribe, entrou em contato com o B9 para informar que “nenhuma das embalagens utilizadas em sua operação conta com as substâncias PFAs. Reforçamos ainda que a segurança e o bem-estar das comunidades onde estamos inseridos são nossa principal prioridade e, por isso, contamos com um rigoroso acompanhamento de toda a nossa cadeia de fornecedores”, diz o comunicado da empresa.

Autora: Soraia Alves

Imagem: B9

Fonte: B9 – www.b9.com.br

Sobre Lúcia de Paula

Lúcia de Paula
Jornalista na Linha Fina Conteúdos Jornalísticos, com 30 anos de experiência, especializada em flexografia, atuando no setor desde 2005; autora do livro História da Flexografia no Brasil, editado pela Abflexo/FTA-Brasil, Scortecci Editora, em 2018.

Veja Também

Heidelberg faz campanha para destacar os equipamentos para acabamento de embalagens de sua parceira MK

A atual campanha da Heidelberg é voltada para as gráficas de embalagem e foca em …